Operadora de plano de saúde deve fornecer remédio que não consta no rol da ANS

Operadora de plano de saúde deve fornecer remédio que não consta no rol da ANS

Compartilhar

A juíza Juliana Moraes Corregiari Bei, da comarca de Jandira (SP), determinou que uma operadora de plano de saúde forneça tratamento com canabidiol 200mg/ml a um segurado diagnosticado com miocardiopatia dilatada em função da mutação do gene TNNC1. 

Segundo a magistrada, “não se sustenta a negativa por parte de operadora de custear tratamento prescrito a um paciente com base em uma suposta ausência de obrigatoriedade legal, já que isso subtrai da relação contratual sua finalidade principal, que é resguardar a saúde e a vida do contratante, violando a cláusula geral de boa-fé objetiva que rege os contratos”.

Plano alegou ausência do medicamento no Rol da ANS

No caso concreto, a empresa negou o medicamento ao paciente com a justificativa de que o tratamento não consta no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). 

O autor da ação pediu o fornecimento da medicação e indenização por dano moral, uma vez que a recusa provocou abalo psicológico e o expôs a grave risco de vida. 

Ao analisar o caso, a magistrada apontou que o parecer médico juntado ao processo demonstrou que o paciente foi submetido a vários tratamentos previstos no rol da ANS, sem obter, contudo, uma evolução no quadro clínico.

“O caso aqui tratado se mostra extremamente grave, chamando a atenção que o requerente sofreu 33 crises epilépticas durante o curto período de 6h, em 13 de abril de 2021”, afirmou a juíza. 

Rol taxativo possui exceções

A julgadora explicou que o Superior Tribunal de Justiça definiu ser taxativo o rol de cobertura da ANS, mas com exceções, como no caso de não haver substituto terapêutico ou se forem esgotados os procedimentos da lista. 

Diante disso, além de obrigar a operadora de plano de saúde a fornecer o medicamento, a magistrada também condenou a empresa a indenizar o paciente em R$ 10 mil. 

 

Processo: 1002909-42.2021.8.26.0299

Fonte: Conjur

Notícias Relacionadas

Receba conteúdos sobre nossas especialidades em seu e-mail.

Atendimento Online Advogado

Antes de entrar em contato nos informe seus dados abaixo:

🔴 ALERTA DE GOLPE 🔴

Inúmeros clientes de escritórios de advocacia em geral estão sofrendo tentativas de golpes desde 2022 por telefone e WhatsApp.

Os dados de processos, no Brasil, são públicos. Isso facilita as ações de golpistas.

Por isso, se você receber qualquer contato em nome do escritório ou dos Drs. Gutemberg Amorim e Yunes Marques e Sousa solicitando envio de valores via Pix, desconfie!

Esse não é um procedimento do escritório.

Dúvidas, ligar para (62) 3091-7443.