Planos de saúde podem ter aumento de até 18%

Compartilhar

O setor dos planos de saúde prevê aumento entre 15% e 18,2% nos preços dos planos individuais a partir de maio. O valor será definido nas próximas semanas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). 

Assim, será o maior aumento nas duas últimas duas décadas. O anúncio vem poucos dias depois de o governo ter autorizado, na sexta (1º), aumento de até 10,8% no preço dos medicamentos

O atual recorde de aumento no preço dos planos de saúde é de 13,57% é de 2016. No ano passado, os planos individuais tiveram um desconto de 8,2%, devido à redução da demanda para uso dos serviços médicos oferecidos em 2020.

O que causa o aumento

Em entrevista a O Globo, o superintendente executivo da Abramge, Marcos Novais, alega que os custos de material descartável e equipamentos importados têm impacto nos planos de saúde. “O setor registra um aumento de custos no período. Observamos um novo padrão de utilização dos serviços após a pandemia. As altas nos preços dos medicamentos, em dois anos, somam quase 24%, o que é significativo para as operadoras”, argumentou.

A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) informou que diversos fatores influenciam no aumento dos planos de saúde. Por exemplo, o aumento do preço de medicamentos e insumos médicos, o crescimento da utilização de recursos dos planos e incorporação de novas coberturas obrigatórias, como medicamentos e procedimentos.

Mas a FenaSaúde diz que são esperados ainda os impactos de tratamentos da chamada covid longa”. Segundo a OMS, as sequelas atingem 10% a 20% dos que contraíram a doença, o que significa até 6 milhões de pessoas no Brasil.

Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor discorda

Segundo a coordenadora do programa de Saúde do Idec, Ana Carolina Navarrete, as projeções do mercado não refletem dados de utilização dos planos de saúde pelos usuários, a chamada sinistralidade, medida pela própria ANS. 

Em junho de 2021, a ANS publicou um estudo que mostrou que a sinistralidade do primeiro trimestre de 2021 permaneceu inferior ao observado no mesmo período de 2019, entre 75% e 77%.

Quando se fala em aumento dos planos de saúde, é preciso se atentar ao que chamamos de reajustes abusivos. Para saber mais, confira o artigo específico sobre o assunto clicando aqui.

 

 

 

Com informações do portal Rede Brasil Atual 

Notícias Relacionadas

Receba conteúdos sobre nossas especialidades em seu e-mail.

Atendimento Online Advogado

Antes de entrar em contato nos informe seus dados abaixo: